Fala-se muito em marketing digital e mais recentemente em inbound marketing, e isso deixa muitos empreendedores perdidos entre os termos e conceitos. Por isso, achei relevante esclarecer os respectivos significados.

Podemos dizer que o marketing digital possui diversas peças para prospecção e captação de novos clientes. São estas: site, SEO, analytics, anúncios patrocinados, blog, redes sociais, newsletters, e landing pages.

A maioria das empresas pegam estas peças e utilizam métodos tradicionais de marketing para conseguir captar clientes na internet. Métodos que invadem o tempo do consumidor, o chamado marketing de interrupção, aquela publicidade que necessita “interromper” o acesso do consumidor ao conteúdo para conseguir assim a sua atenção. Por exemplo: a pessoa vai assistir a algo que achou interessante no Youtube e antes vem aquela propaganda que precisará assistir alguns segundos até vir a opção de pular e ir para o víde de interesse.

Os tempos agora são outros e o maketing de interrupção tem se mostrado cada vez menos eficaz. Este conceito então passou a ser substituido pelo marketing de permissão (conceito criado por Seth Godin em 1999), que evoluiu para o “marketing direcionado para dentro” ou inbound marketing.

O inbound marketing utiliza as mesmas peças, já mencionadas, mas com foco naquilo que os consumidores estão procurando naturalmente na internet, ajudando-os em seus processos de compra através de informações relevantes. O inbound marketing busca produzir conteúdo útil ao consumidor, para que ele o encontre quando quiser resolver um problema ou atender a uma necessidade.

Podemos dizer então que marketing digital são as ferramentas disponíveis (estratégia) e o inbound marketing é a maneira como utilizamos estas ferramentas (plano de ações). As 4 grandes ferramentas do inbound marketing são: blogs, midias sociais, newsletters, e landing pages.

Espero poder ter ajudado. Então não se esqueça, o marketing digital funciona como uma estratégia de mercado, ao passo que o inbound marketing se mostra como um plano de ações.

Autor: Edvaldo Mello